quarta-feira, 2 de julho de 2008

Summer Essentials

A questão colocou-se numa destas noites de canícula, enquanto esperava pelo sono, livre de outras obrigações que não as de ordem puramente estética e hedonista: que música ouvir neste Verão? Curiosamente, o primeiro disco que me veio à mente foi este Night Vision dos belgas Spirit Catcher. Porquê? Bem, porque todo ele perpassa a ideia de calor, Verão, praia, relax, lounges situadas em locais paradisíacos, enfim, todos os anúncios publicitários deste lado do Paraíso. Mas ainda bem. Tudo em bons. Ouvi-o e tudo isto se confirmou. O que se apresenta no álbum é um som impecavelmente produzido, um disco sound moderno e brilhante como uma superficie de prata reluzente. É sexy sem o mínimo esforço e absolutamente eficiente na intemporalidade dos seus pressupostos ritmicos. Já ouvimos isto, certamente, mas aqui é tudo tão natural que nos deixamos ir sem qualquer constrangimento. Disco de Verão? Oh yeah! Começar a silly season com esta música supremamente elaborada e elegantemente energética, com assumidas piscadelas de olho aos anos 80 e à herança do melhor disco dos 70, parece extremamente adequado ao apetite electro e house das noites sintéticas destes dias. Não é preciso dizer que a noite que se seguiu foi um caleidoscópio de ritmos sensuais da melhor feitura.
Assim vale a pena o Verão...!
Nota: Esta será uma série para manter, porque o dito Verão vai ser longo e muitas serão as noites longas a escutar boa música. Já agora, quem quiser partilhar os seus summer essentials, venha e será muito bem vindo. Enjoy!

3 Comments:

Blogger Frioleiras said...

aqui vai a minha sugestão:

Ruby Sons - Tane Mahuta

(http://youtube.com/watch?v=gCcN0CH_mlY)

2 de julho de 2008 às 18:00  
Blogger Crumblenaut said...

Excelente escolha, Marquês. Confesso que com esses foi amor à primeira audição.
A minha recai sobre os Studio com "Yearbook 1" e agora o novo "Yearbook 2", com os seus melosos remixes. Melhor ainda: ouvir os dois de seguida, aquando do regresso da praia, com o pôr-do-sol a reflectir-se nos espelhos do carro e o tempo a tornar-se plástico.
Na mesma senda, os Boat Club com "Caught by the Breeze". Uma espécie de Studio mais avarentos na extensão das músicas, mas igualmente apropriados à canícula.
Por último, o novo EP do Lindström, "Where You Go I Go Too", não desliude. A title track dura somente... 30 minutos.
Bandas sonoras para o Verão, cá por estes lados.

2 de julho de 2008 às 21:55  
Blogger Monsieur Le Marquis said...

Não há nada melhor para o Verão do que músicas looooooooooongas. 30 minutos de Lindstrom...? Oh, o frémito da antecipação! O que vale é que já tenho a coisa encomendada e não tarda aí...

3 de julho de 2008 às 17:18  

Enviar um comentário

<< Home