quarta-feira, 9 de julho de 2008

Summer Essentials III

Porque parar é morrer, mais um tomo nesta saga sonora estival. Desta vez, um dos navios almirantes da Kompakt, essa caixa de Pandora de delícias sonoras electrónicas, rainha entre todas as casas que fazem das máquinas o seu mantra. O nome do senhor é Gui Boratto, é brasileiro, é produtor e trabalhou com gente altamente improvável antes de ter dado ao mundo este couraçado ritmico, absoluto ariete sonoro, imparável objecto de cutânea aderência (delírio, delírio...) e inescapável luxúria dançante. Estão a ver, portanto... Seu Boratto apresenta uma derivação sónica das ondas sonoras reinantes no presente, incluíndo techno, electro, minimalismo, house, breakbeat et al. para formar um som texturado, capaz de conciliar vários ritmos numa mesma faixa, puxando para a pista de dança e para o lounge num mesmo sopro. São partículas sonoras em suspensão que são atiradas ao ar e feitas em virotes, criando sons quase trance com espaço suficiente entre si para deixar que sejam elitidos de modo a criarem arranjos próprios, levando estas faixas para outra dimensão que excede em muito a de uma normal pista de dança. É como se Boratto criasse um Carnaval de sons que do original brasileiro retirou o sentido do ritmo e a capacidade de criar movimento, fazendo pensar num Verão ácido que nunca mais acaba, de cocktail na mão a olhar para o fim do mundo. Um conjunto de faixas que torna difícil a escolha de uma delas em particular, deixando instalar-se uma visão de conjunto plenamente satisfatória. Que os calores nos acompanhem por muito tempo!

2 Comments:

Blogger Crumblenaut said...

Tenho conhecimento de uma parte da ilustre audioteca do Marquês, recomendo a (re)audição de Alexkid - Caracol.
Acho que ficará bem na sequência a que se tem, hedonisticamente, proposto.

11 de julho de 2008 às 12:01  
Blogger tolilo said...

gostei, pois!

12 de julho de 2008 às 14:50  

Enviar um comentário

<< Home